Se jogo no lixo muito do que escrevo

Deveras sinto que faço o que devo

Gastar tempo de Deus chorando mágoas

É navegar sem leme turvas águas.

 

Pois se a boca ao coração dá voz

Também a pena quer falar de nós

Enquanto nele a dor permanecer

Estulto é lhe estar sempre a mexer.

 

Deixar que o tempo cumpra a sua parte

É sadia e inspirada forma d´arte

Que nos deixará lograr novo caminho

E sermos novos vasos, para novo vinho.

 

Manuel Cristovão

12 /04 / 06

10:20mm