( Jorge Humberto )
 

Cai a noite lá fora e eu não deixo de pensar
Que uma e outra vez quero voltar a amar,
Como se essa fora a última vez de um qualquer
Acordo, entre um homem e uma mulher.
 
Quero me entregar de corpo e alma, desprovido
De escudos e de muletas, como a um vencido
Doar minha alma e meu corpo sem condição,
E amar-te doravante, entregando-te o coração.
 
Ah, e sorrir novamente, com o florir dos jasmins
E o cantar dos pássaros, cobrir-me de flores,
Fazer-te versos e trovas, em imensos jardins.
 
E quando os nossos corpos se unirem de novo,
Seremos como à ilha dos amores,
Na terra o cultivo de todo um distinto povo.
 

 

 

 

       

Gostou desta página?
Que tal enviá-la a alguém especial?

Seu Nome:
Seu E-mail:
E-mail de seu Amigo(a):

Mensagem(+ ou - 20 palavras):

Depois de enviar, a msg continua aqui,
basta fechar esta página.

 

Copyright © 2004, Iramoema Ribeiro - Todos os direitos reservados-